Carlos Tavares: trabalho emocionante, Jair ao estilo Trump e a varredura no Senado

EU E A CHINA

Para comemorar o 40° da Reforma/abertura econômica (decretada por Deng em 1978), com o título acima, a embaixada da China organizou concurso que contou com 250 ensaios. Honrosamente situei-me entre os vencedores, recebendo o prêmio de Pessoa Homenageada, com a reportagem “Exemplo Emocionante”, título retirado da elogiosa referência a meu respeito em discurso do presidente Xi Jinping.

Começo esse trabalho premiado citando o artigo pioneiro “Comércio Exterior da China”, publicado na revista da CNC, em outubro de 1971. Nesses exatos 47 anos foram mais de mil artigos e reportagens, além de 10 livros sobre a milenar superpotência asiática, berço da civilização.

XI/GUEDES

Em recente entrevista, o capitão Jair, após afirmar que “a China está comprando o Brasil”, acrescentou : “Você vai deixar a energia nas mãos do chinês ?” Como se sabe, além de maior importador de produtos nacionas, tornou-se a China principal investidora, com mais de US$ 125 bilhões aplicados, grande parte no setor energético. E tem projetos para investir outros bilhões também em usinas e distribuição de energia.

Assim, sempre favorável ao Brasil, o que achará o afável presidente Xi Jinping dessa afirmação ? Por outro lado, como essa (e outras) declaração do capitão, interfere na economia/finanças – sem precisar de texto – está certíssimo o titulo do recente artigo da Folha, “Até quando Paulo Guedes vai aguentar ser desautorizado por Bolsonaro?” A propósito, revelando o estilo favorito para governar, o presidenciável já adiantou : “Sou grande admirador do presidente Trump”.

CASSINOS/PORTOS

A varredura realizada pelas eleições no Senado, com a substituição de 2/3 de seus integrantes, vai facilitar a aprovação de duas propostas de interesse nacional, sempre defendidas pela coluna: a reabertura dos cassinos e o fechamento dos portos aos políticos. No caso da legalização do jogo, não foram reeleitos os senadores Malta, Requião e Lindbergh e a senadora Vanessa. O primeiro, pastor-cantor, em março, liderou a rejeição da proposta, na Comissão de Justiça, sob o ridículo argumento da “vulnerabilidade dos idosos para a jogatina”.

Os dois últimos, embora de esquerda, preferiram seguir o líder da extrema direita ao bom exemplo da China, com o maior centro mundial de cassinos privados, em Macau. Também contra a proposta de reabertura, não se candidataram à reeleição a senadora Gleisi e o senador Caiado. Na outra proposta, não conseguiram a reeleição a senadora Rose e o senador Eunício, que detiam a tutela dos portos do Espírito Santo e do Ceará, respectivamente.



menu
menu