Receita de exportações de frango cresce 5,7% em novembro

O volume das exportações de frango animou o setor de carnes em novembro. A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) informa que a receita das exportações de frango (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) apresentou elevação de 5,7% em novembro deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado.

Ao todo, as exportações frango do mês passado geraram saldo de US$ 558,5 milhões, contra US$ 528,2 milhões em novembro de 2016. No ano, o saldo acumulado segue positivo em 7%, com um total de US$ 6,713 bilhões obtidos entre janeiro e novembro deste ano, contra US$ 6,273 bilhões nos onze primeiros meses de 2016.

Exportações de frango

Em toneladas, houve retração de 0,8% nos volumes de exportações de frango no mês passado, com total de 325,6 mil toneladas – contra 328,2 mil toneladas em novembro do ano passado. Já no acumulado do ano (janeiro a novembro) foram embarcadas 3,999 milhões de toneladas, volume 0,56% inferior ao obtido no ano anterior, com 4,021 milhões de toneladas. “A diminuição do ritmo dos embarques é resultado de ajustes pontuais nas importações de determinados mercados do Oriente Médio e da União Europeia. Ao mesmo tempo, houve um consistente crescimento nas importações da África do Sul, Iraque, Líbia e Jordânia”, analisa Francisco Turra, presidente-executivo da ABPA.

Carne suína in natura

A ABPA divulgou em comunicado que as exportações brasileiras de carne suína in natura totalizaram 45,8 mil toneladas, resultado 21,4% inferior ao registrado no mesmo período do ano passado, com 58,3 mil toneladas. Em receita, houve retração de 27,6%, com US$ 110,7 milhões. No ano (janeiro a novembro), o setor acumula alta de 8,9% na receita, com US$ 1,363 bilhão – contra US$ 1,251 bilhão no mesmo período do ano anterior. No mesmo período comparativo, os embarques registraram retração de 6,3% em volumes, com 548,7 mil neste ano, contra 585,6 mil toneladas nos onze primeiros meses de 2016. “Houve uma readequação nos níveis de importação de importadores da Ásia, como China, Singapura e Hong Kong, que influenciaram o resultado do mês. Por outro lado, Uruguai e Angola incrementaram suas compras em novembro”, destaca o vice-presidente de mercados, Ricardo Santin.



menu
menu