Marcos Jorge toma posse como ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços

Marcos Jorge de Lima, é, oficialmente, o novo ministro da Indústria, Comércio exterior e Serviços (MDIC). A nomeação foi publicada nesta terça-feira (10) no Diário Oficial da União e às 15h o presidente Michel Temer assinou o termo de posse, numa cerimônia realizada no Palácio do Planalto. Também foram empossados os ministros Alberto Beltrame (Desenvolvimento Social), Antônio de Pádua de Deus (Integração Nacional), Eduardo Guardia (Fazenda), Esteves Colnago (Planejamento), Helton Yomura (Trabalho), Leandro Cruz Fróes da Silva (Esporte), Moreira Franco (Minas e Energia), Rossieli Soares da Silva (Educação) e Vinícius Lummertz (Turismo). As mudanças foram necessárias devido à saída de diversos ministros para cumprir o prazo de desincompatibilização exigido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Marcos Jorge tem 39 anos e ocupava o cargo de ministro interino do MDIC desde janeiro de 2018, quando passou a substituir Marcos Pereira, que estava à frente da pasta desde maio de 2016. Na saudação que fez aos novos ocupantes dos cargos do primeiro escalão, o presidente Michel Temer disse que não poderia deixar de cumprimentar o ministro Marcos Pereira, presente à cerimônia, pelo "dinamismo que imprimiu à indústria".

Em seguida, o presidente mencionou os superávits recordes da balança comercial brasileira, de US$ 67 bilhões, em 2017 e de US$ 47,7 bilhões em 2016. "Temos atingidos recordes absolutos nesses quase dois anos de governo. Portanto mais uma vez cumprimentando o Marcos Pereira damos nossa saudação ao Marcos Jorge que ocupou cargos expressivos tanto no plano estadual como no plano federal. Marcos Jorge já vem há algum tempo à frente da pasta e demonstrou estar em sintonia com o impulso modernizador do nosso governo. Com nossos esforços em favor do setor privado cada vez mais competitivo e inovador", afirmou o presidente.

O novo ministro

Marcos Jorge de Lima é natural da cidade do Rio de Janeiro (RJ), casado com Ana Rafaela de Lima e tem três filhos. Ele está no MDIC desde a gestão do ex-ministro Marcos Pereira. Entre 2016 e 2017 foi secretário-executivo da pasta.

O novo ministro do MDIC é administrador legislativo graduado pela Universidade do Sul de Santa Catarina e mestre em Administração Pública pela Escola de Administração do Instituto de Direito Público de Brasília. Também atuou como secretário-executivo do Ministério do Esporte, sendo um dos principais responsáveis pela organização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Foi ainda superintendente federal do Ministério da Pesca e Aquicultura, coordenador do Fórum de Gestores Federais da Presidência da República e secretário de Estado da Cultura, cargos que assumiu no estado de Roraima. Ocupou, também, a vice-presidência para a Região Norte do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura. Além disso, Marcos Jorge atuou como membro titular do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), do Conselho Fiscal da Agência Especial de Financiamento Industrial (Finame) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Ao ser perguntado pelos jornalistas presentes na cerimônia sobre o que pretende priorizar à frente do MDIC Marcos Jorge declarou que continuará o trabalho do ex-ministro Marcos Pereira e destacou as ações lançadas recentemente como a Agenda Brasileira para a Indústria 4.0, que será implementada em conjunto com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industria (ABDI).

O novo ministro também falou de sua expectativa de encerrar com sucesso o longo processo de negociação do acordo Mercosul-União Europeia. "Trata-se de uma janela de oportunidade única, em que a conjuntura internacional e a disposição dos países dos dois blocos convergem na mesma direção", afirmou.

A União Europeia é um importante destino de produtos industrializados brasileiros. Para lá, empresas de vários segmentos da economia nacional exportaram, em 2017, cerca de 40 bilhões de dólares.

De acordo com o ministro, uma maior integração do Brasil com o mundo virá da implementação incansável de medidas de facilitação de comércio e da busca ambiciosa por melhor e maior acesso a mercados estrangeiros como destino de nossos produtos e serviços, e como origem de insumos estratégicos e inovações importantes ao ambiente empresarial brasileiro.



menu
menu