FCCE participa do seminário promovido por Fecomércio-BA e Faeb com o tema “Brasil: Futuro Econômico”



A Federação das Câmaras de Comércio Exterior (FCCE) participou do seminário “Brasil: Futuro Econômico”, promovido pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia (Fecomércio-BA) em conjunto com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb). O evento, realizado no dia 11 de novembro, reuniu empresários dos setores de comércio, indústria, serviços e agricultura, além de autoridades.

Os presidentes da FCCE, Paulo Fernando Marcondes Ferraz, da Faeb, Humberto Oliveira, e da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, foram os componentes da mesa do seminário, que contou ainda com a ilustre presença do vice-presidente da República, Antônio Hamilton Mourão, que ministrou uma palestra sobre o futuro econômico do Brasil.

Em sua apresentação, Marcondes Ferraz destacou o desafio da FCCE de contribuir para que, ultrapassadas as antigas práticas protecionistas, os produtos brasileiros conquistem espaço nas cadeias de valor internacionais.

“Ao governo, às empresas e a todo o País importa que essa inserção seja efetivamente competitiva, o que só poderá ocorrer na medida em que o comércio exterior brasileiro disponha de condições equivalentes às dos países mais competitivos e de instrumentos tão ou mais ágeis e eficientes que os deles”, salientou.



Para o presidente da FCCE, os próprios empresários do comércio exterior estão autorizados a apontar os obstáculos ao seu bom desempenho, seja identificando as dificuldades enfrentadas com cada parceiro comercial para subsidiar a formatação de acordos bilaterais, seja indicando os gargalos (burocráticos e de outros tipos) que travam as exportações brasileiras.



Em sua palestra, o vice-presidente da República abordou temas como agronegócio, economia nacional, a atual situação política do País e reforma tributária, traçando um panorama da geopolítica nacional e mundial. Para ele, o Brasil enfrenta um duplo desafio na atualidade. “Reerguer e adaptar o País à nova realidade global, e fazer do Brasil a maior, mais vibrante e próspera democracia liberal do Hemisfério Sul”, apontou.

No entendimento de Mourão, a retomada do crescimento passa pelo controle das contas públicas com medidas como a reforma da Previdência, além de desvinculação do orçamento, privatizações, reforma tributária, abertura comercial e desburocratização.

No final do evento, Carlos de Souza Andrade, presidente da Fecomércio-BA, presenteou Hamilton Mourão com a medalha dos 70 anos da Federação.




menu
menu